quinta-feira, 21 de agosto de 2008

A confiança é a última que morre...

Se você sempre se perguntou porque algumas pessoas confiam cegamente em gente como bispo Macedo, João Paulo II, Antônio Carlos Magalhães, etc, etc, um grupo de pesquisadores de Princeton pode ter chegado à resposta.
Analisando traços da fisionomia, chegaram à conclusão de que as pessoas tendem a confiar nos que possuem ponte nasal pouco proeminente, cantos internos das sobrancelhas elevados, ossos malares pronunciados e queixo largo. Os que apresentam as características inversas tendem a ser vistos como não-confiáveis.
O diagrama abaixo ilustra bem:






Isso lembra (e explica) as teorias estapafúrdias de Lombroso. Vale lembrar que as feições são determinantes de como o indivíduo é avaliado por outros, não influenciando em seus reais traços de personalidade. O que me espanta é como um sujeito tão parecido com o boneco da esquerda pode enganar tanta gente por tanto tempo... Deve ser a barba. Ou a língua "plesa"...

Imagem adicionada apenas para fins decorativos,
não apresentando qualquer relação com o post.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial