segunda-feira, 1 de junho de 2009

Engraçado, não? Cadê a reação dos religiosos sobre a queda do avião da AirFrance?


O círculo roxo é a mão de Deus derrubando o avião


É muito interessante que quando o Airbus da US Airways caiu no Rio Hudson em Janeiro de 2009, multidões de religiosos saíram gritando asneiras como "a mão de Deus guiou o piloto", "foi um milagre", "o sangue de Jesus tem poder" e congêneres. Desmereceram a incrível habilidade e experiência do piloto, que realizou um pouso dificílimo e arriscado.

Prefiro voar com esse habilidoso piloto que rezar o vôo inteiro

Pois bem. Cadê esse pessoal agora responsabilizando Deus pela morte de mais de duzentas pessoas no vôo AF-447 da AirFrance? Foi a "mão de Deus" que lançou o raio que alegadamente produziu uma pane elétrica? Foi um milagre também?

É brincadeira...

17 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

vai se fuder!!!
cada um acredita no que quer.
seu merda

2 de junho de 2009 00:23  
Anonymous Anônimo disse...

Aliás, espera só um minutinho que eu vou até ali dar meu cuzinho pra um padre e um pastor e já volto pra te xingar.

2 de junho de 2009 15:19  
Anonymous Anônimo disse...

Pensando bem, vou fazer também um boquetinho pro Edir Macedo, mandar mais um dinheirinho pra conta dele e aí sim eu volto pra terminar meus comentários acima te insultando.

2 de junho de 2009 15:24  
Blogger Mutante disse...

HAhaha...pensei a mesma coisa quando fiquei sabendo da notícia do voo desaparecido.

Deus derrubou o avião, vê se pode.

AsuhuSh
"Anônimo safadinho."

Abraço!

2 de junho de 2009 17:24  
Blogger Der Hexenhammer disse...

Pelo alto nível dos comentários do Anônimo, não há muito a responder.

"cada um acredita no que quer"

Concordo, caro Anônimo. Respeito a sua opção. Assim como respeitaria se você comesse merda. Ainda assim, tiraria sarro da sua cara da mesma maneira.

Bon apetit! ;)

2 de junho de 2009 18:25  
Blogger Stefano disse...

cara, veja isso!
http://anticlerical.multiply.com/photos

4 de junho de 2009 01:48  
Anonymous Anônimo disse...

Parabéns pelo post.

4 de junho de 2009 19:10  
Blogger Sue disse...

Ah, menino,

Feio, muito feio de sua parte achincalhar com o sofrimento alheio para fazer troça com aqueles que acreditam.

Eu, por acaso, cresci no meio de pilotos, meu pai sendo um deles. Um avião nunca "cai", ele é derrubado - seja por falha humana, mecânica ou pelo elemento imponderável, como uma gaivota na turbina ou um raio no lugar e na hora mais imprópria. Muitas vezes o piloto não tem o que fazer, nem mesmo um damage control, como no caso de uma pane elétrica num avião controlado por computador como o airbus.

Você parte de premissa falsa quando diz que a morte é um mal, já que ela acontece a todo ser vivo deste planeta em algum momento. Se a morte é um mal, e a morte é parte da vida, então a conclusão lógica seria que a vida é um mal?

A tragédia deste vôo foi evitada no vôo do Rio Hudson, pela habilidade do piloto e pelo LUGAR ONDE ELE ESTAVA, num rio no meio de uma cidade, com muitas pessoas para ajudar. Se este mesmo piloto americano estivesse no vôo da Air France, tenho fortes dúvidas que ele conseguiria controlar um avião daquele tamanho, possivelmente desgovernado e em pane elétrica, para fazer um pouso na água. Sem rádio, seria impossível pedir ajuda. Em pouco tempo o avião afundaria DE QUALQUER FORMA e as pessoas estariam sujeitas à hipotermia e aos tubarões.

As coisas ACONTECEM, boas e ruins. Nós, pela nossa visão limitada, não sabemos porque. As pessoas sensatas que crêem sabem que a dor há de aparecer em algum momento em suas vidas, mas contam com o amor de Deus e com seu consolo.

Não seja desaforado com quem está sofrendo, menino.

Grande abraço

5 de junho de 2009 11:43  
Anonymous Juan Carlos I disse...

Sue....

POR QUE NO TE CALLAS ?

5 de junho de 2009 12:29  
Anonymous Anônimo disse...

A morte não é um mal?

Oba! Vamos comemorar as guerras, tragédias e pestes!

Aposto que nem a mais religiosa das pessoas acredita verdadeiramente nessa idiotice.

A morte não faz parte da vida porra nenhuma, é o FIM DELA!

Porra tia, esqueceram de te convidar pro celeiro da Heaven's gate?

5 de junho de 2009 18:11  
Blogger Der Hexenhammer disse...

Sue,

Você é uma debatedora de respeito, com quem já conversei várias vezes lá na Deus lo Vult.
Sou obrigado, porém, a discordar de algumas de suas colocações:
1) Não estou achincalhando o sofrimento alheio. Estou fazendo uma pergunta cabível.

2) Se a morte não é um mal, para quê evitá-la? Esse é um dos maiores paradoxos hipócritas presentes nas atitudes dos católicos. Para quê vacinas, quimioterápicos, cirurgias? Se é "o plano de Deus" e a morte não é um mal, conformemo-nos. Não é?

3) Interessante que a morte fez parte da sentença proferida por Deus à custa do pecado original. Imagino que Deus não puniria a humanidade com algo bom e natural.

4) Um Deus totipotente poderia ter evitado o acidente. Se não evitou, há que se questionar sua bondade. Humanos não são totipotentes.

Um abraço!

5 de junho de 2009 18:43  
Blogger Sue disse...

Juan Carlos,

No me callo porque soy libre!

Sobrinho Anonimo

Já tenho minha galera, valeu o convite. Não, a morte não é um mal, é condição da matéria. Tudo que é carne nasce, cresce, entra em decadência, morre e retorna ao pó de onde veio. Mas há a possibilidade de ressurreição... mas isso é conversa para gente mais grandinha, volte ao seu chiqueirinho seguro e quentinho.

Caro Der Mallmal

Já disse no Deus lo Vult que gostaria deveras que você estivesse jogando no meu time, adversário bom dá trabalho. Você tem todo o direito de questionar a bondade de Deus, mas para isso tem de acreditar n'Ele :)

Agora, ficar fazendo provocação aos cristãos usando um acidente grave que trouxe tristeza e perda para tantas pessoas não é achincalhar o sofrimento alheio? Pensa bem. Há o momento em que é melhor o silêncio respeitoso.

A morte é resultado do comportamento arrogante do homem. Para quem morre não há mal algum no fato da morte em si, e eu já vi gente muito próxima morrer, sei do que estou falando. Há mortes lindas, amorosas, onde o olhar de despedida é repleto de amor e confiança. Para quem fica, a morte é saudade e perda aguda, e é esta perda que deveria estar sendo respeitada agora.

Cristào nenhum, se é coerente, evita a morte. Ele a aceita como algo que virá, e para qual ele deve se preparar, como um vestibular da alma. Ele também nào a procura ou a inflinge, sabendo que o controle da vida e da morte nào está em suas mãos, mas em outras Mãos mais capazes que a dele.

A resposta dos católicos foi dada pela própria família real. As frases serenas de um pai que acabou de perder o próprio filho num acidente são suficientes para você?

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI75853-15227,00-A+ESPERANCA+SE+FOI.html


Abraço!

5 de junho de 2009 20:13  
Blogger Der Hexenhammer disse...

Sue, deixa o povo pra lá! Eles não estão acostumados com esse tipo de discussão! :)

Você partiu pro lado emocional, ahhh! pobres familiares! Ok, respeito. Mas de onde vem o sofrimento deles - pergunto eu a você - se em sua crença tudo vem do mesmo lugar?

Se a morte é resultado do comportamento arrogante do homem ela deveria ser evitada pela humildade, não? E, mais ainda, a maneira com a qual você se expressou endossa a morte como punição! Então ela não deve ser boa! Ela é má, então?

Você disse que nenhum cristão coerente evita a morte. Oras, o que é tomar antibióticos, vacinas, quimioterápicos senão evitar (ou, sendo mais exato, adiar) a morte?

Por que motivo (e eu gostaria de algum embasamento teológico nessa resposta) os cristãos simplesmente não aceitam as infecções e as doenças virais (e mortais) de seus filhos como desígnios de Deus?

Tomar vacina não é interferir no plano de Deus? Por quê?

(PS: Se o Jorge, que eu sei que lê este blog, puder responder também, eu agradeceria!)

5 de junho de 2009 20:30  
Anonymous Deus disse...

Sue, me perdoe!! Eu fui muito incompetente e não salvei aquele avião. Aliás... até o PT é competente do que eu em se tratando de ADM.

5 de junho de 2009 20:59  
Anonymous noclergy disse...

Sue... sua indignação(pseudo) me diverte.... adoro ver crente revoltadinho. É isso aí.. continue acreditando num suposto deus bondoso e salvador.

5 de junho de 2009 21:01  
Blogger Sue disse...

Oi Mallmal!

Já deixei o povo para lá. :)

Quanto às respostas para suas perguntas, vou citar trechos do Catecismo Católico, ok? São trechos grandes, vou pinçar alguns, mas se você tiver como pegar um catecismo emprestado e dar uma lida nos trechos completos, fica mais claro como encaramos a morte:

Artigos 1005 a 1019

Artigo 1006 - "É diante da morte que o enigma da condição humana atinge seu ponto mais alto." Em certo sentido, a morte corporal é natural; mas para a fé ela é na realidade "salário do pecado" (Rm 6,23). E, para os que morrem na graça de Cristo, é uma participação na morte do Senhor, a fim de poder participar também de sua ressureição.

Mais sobre morte, saúde e manutenção da vida

Artigo 2280 - Cada um é responsável por sua vida diante de Deus, que lha deu e que dela é sempre o único e soberano Senhor. Devemos receber a vida com reconhecimento e preservá-la para honra d´Ele e salvação de nossas almas. Somos os administradores e não os proprietários da vida que Deus nos confiou. Não podemos dispor dela.

Artigo 2288 - A vida e a saúde física são bens preciosos doados por Deus. Devemos cuidar delas com equilíbrio, levando em conta as necessidades alheias e o bem comum.

Então, resumindo, é assim que pensamos nisto:

A morte é o fim natural da matéria, a qual o homem não estaria sujeito se não tivesse se apartado de Deus pelo pecado. quando isto aconteceu, Deus preparou a vinda de Seu Filho ao mundo para redimir o homem deste pecado e lhe restituir a vida eterna. Jesus pagou o preço por todos nós para que a morte não fosse um mal e uma aniquilação.

A vida é dom de Deus, um presente magnífico que nos foi dado, e a manutenção da vida com amor, respeito e responsabilidade inclui o cuidado com o corpo - com a higiene, com a saúde, com a sexualidade.

Se ficamos doentes e a doença tem tratamento, recorremos a este tratamento, por amor á vida de recebemso e em respeito Àquele que nos deu este presente.

Se o tratamento não funciona e morremos (o que aconteceu com minha mãe e meu pai, ambos por causa de tumores cancerosos), preparamos nosso espírito para a passagem com oração e os sacramentos e os que ficam fazem o mesmo para lidar com a saudade e a ausência (que dói, dói, dói)

Respondi a todas as perguntas?

Grande abraço, vou espiar mais por aí e interferri de vez em quando, se não for abuso :)

7 de junho de 2009 00:19  
Anonymous Anônimo disse...

Porra, Tia, pegou pesado.

Vamos partir da sua premissa (incorreta) de que esse mano Jesus exisitu mesmo.

Você tem certeza de que sua igreja, na firmeza, não deturpou todas as tralhas que ele escreveu depois disso? Já leu alguma "primeira edição" da Bíblia? Escrita à mão pelo próprio? Com firma reconhecida em cartório?

Ô truta, eu reconheço firma todo dia, certo? Não é difícil, não.

Ou já que a morte virou "uma condição da matéria" fica mais fácil pros soldados botarem o rabo na reta nas guerras religiosas que vocês iventaram? Conheces a guerra dos 30 anos? (sugiro ler a biografia do seu Cardeal Richelieu)

Por fim, sou um mano de respeito e quero ser tratado como tal; "seguro e quentinho" é seu cu, tia, na boa.

7 de junho de 2009 09:02  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial